Pages

terça-feira, 31 de março de 2015

Direito de Resposta.

PT vai orientar bancada a aprovar projeto de direito de resposta de Requião

O projeto de direito de resposta do senador Roberto Requião (PMDB/PR) foi incluído pelo Partido  dos Trabalhadores (PT) entre as medidas propostas pelos diretórios regionais dos 27 Estados para responder às críticas que e a legenda vem sofrendo, sobretudo em relação à Petrobras. O encontro ocorreu na noite de segunda-feira (30) e contou com a presença do ex-presidente Lula.
“Maus perdedores no jogo democrático, tentam agora reverter, sem eleições, o resultado eleitoral. Em função dos escândalos da Petrobrás, denunciados e investigados sob nosso governo -– algo que não ocorria em governos anteriores –, querem fazer do PT bode expiatório da corrupção nacional e de dificuldades passageiras  da economia, em um contexto adverso de crise mundial prolongada”, diz trecho do manifesto petista.
O projeto de direito de resposta já foi aprovado por unanimidade no Senado e está tramitando na Câmara  dos Deputados desde 2013. Pela proposta, qualquer pessoa ofendida por órgão de imprensa pode pedir reparação gratuita por dano moral com o mesmo destaque, publicidade, periodicidade e dimensão do agravo. O direito de resposta deve ocorrer no máximo em sete dias (contados do recebimento do pedido). Não são objetos do direito os comentários feitos por internautas nas páginas dos veículos de comunicação.
“O contraditório é a essência da democracia. E meu projeto restabelece no Brasil o direito ao contraditório  que desapareceu com o fim da Lei da Imprensa – fim proporcionado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal. O projeto já foi aprovado no plenário do Senado por unanimidade e se encontra agora dormindo na Câmara Federal”, disse Requião.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Fazendo Política Com Dinheiro Público.

A cada eleição temos no Brasil uma situação que se repete, são os Parlamentares eleitos (para serem Parlamentares), mas, traem a vontade dos eleitores e, por um projeto pessoal, afastam-se da função de Deputado e vão exercer cargo na administração (secretários, etc).
SE, ao afastar-se da função de Deputado, deixasse TUDO para o suplente, então, como dizem os jovens "beleza". Mas, não, nisto inclui uma negociata (sim, negociata), pois, o titular, prevalecendo-se da condição, procura manter "parte" da estrutura do Gabinete de Deputado (função que ele abriu mão), mantendo ali, seus "colaboradores políticos".
Pior, tem Deputado/Secretário, aqui de nossa região (Douglas Fabrício) quem tem a petulância, a "cara de pau", de se apresentar como "Secretário/Deputado", oras, é um ou outro. Mais, ainda vai nos municípios entregar benefícios como se estivesse na função de Deputado.
Este tipo de procedimento é vergonhoso, próprio de um Governo como o do Beto Richa. Aliás, no Gabinete do Deputado Douglas Fabrício tem dois barbosenses que são "assessores" do DEPUTADO, mas, como está licenciado para ser Secretário de Esportes, pergunto: Ainda continuam lotados no Gabinete? Se sim, prestando serviço a quem? Já que a titular do gabinete agora é outra pessoa (de Guarapuava).
Ou estão lotados na Secretaria de Esportes? ai pergunto: qual o conhecimento técnico que possuem na área?
Com relação a nós, barbosenses, cabe ao senhor Edenilson Miliossi esclarecer qual é a sua real situação funcional, pois, sabemos que anda na região "fazendo política partidária" para o PPS e Douglas Fabrício, mesmo o Deputado estando licenciado da função. 
SEI que vou ouvir que a sua situação é Legal, MAS, com certeza IMORAL.

domingo, 29 de março de 2015

De Estilingue a Vidraça.

Comunicado aos colaboradores do Grupo RBS

Mas que serve também para colaborares da Globo e da maioria dos grandes meios de comunicação do país, depois da eclosão  da Zelotes e do Mega Esquema do HSBC (Observação do Blogueiro).
Vai o Comunicado aos Colaboradores do Grupo RBS, reproduzido do RS URGENTE

operacaozlotesquadro
Por Marcelo da Silva Duarte (*)
Nada como um dia depois do outro.
Principalmente para um moralista de plantão.
Como é representar uma empresa suspeita de corrupção, que supostamente  paga propina para se livrar de débitos tributários? Qual é a sensação de saber que parte do salário que vocês recebem no final do mês é pago, supostamente, graças à corrupção - essa mesma que, insistentemente, tem assolado nossa política -? Como é saber que a expansão empresarial do Grupo RBS supostamente é patrocinada pela corrupção, pela sonegação de tributos que fazem falta para a educação, para a saúde, para as estradas? Como será, a partir de agora, produzir uma matéria, ou escrever um artigo, sobre o "caos na saúde", se supostamente vocês contribuíram para ele?
A empresa que vocês representam ainda não foi condenada? Bem, mas o que  isso importa? Quando vocês, jornalistas do Grupo RBS, se preocuparam com a verdade e com apurações quando escândalos desse tipo envolveram políticos, não é mesmo?
Como é ser vidraça?
E agora, sob a luz dessa acusação, como será falar, em seus programas de rádio, em suas colunas de jornal impresso, sobre propinas pagas por empresários para políticos e diretores da Petrobras? Como será descer do "pedestal ético" do Grupo RBS, do  qual se olhou para todos,
indistintamente, durante um bom tempo? Do alto do qual políticos, juízes, promotores, funcionários públicos, agentes políticos, profissionais liberais e cidadãos comuns foram julgados  impiedosamente?

Com que moral um representante do Grupo RBS falará sobre isso?
Aliás, com que moral um representante do Grupo falará, a partir dessa denúncia, sobre qualquer coisa que envolva o conceito de corrupção?
Vocês citarão os nomes dos executivos da RBS que supostamente pagaram propinas para funcionários públicos corruptos? E os nomes dos lobistas que  supostamente intermediaram essa negociação, vocês dirão? Estão ansiosos por essa lista como estiveram pela famosa "lista de Janot"?
E os editoriais do Grupo RBS, pródigos em acusações, em apontar para a  falência moral da política? Como é estar na mesma vala de suspeição, no mesmo nível moral dos políticos e empresários por vocês publicamente execrados?
Por um bom tempo vocês enganaram muitas pessoas. Há aqueles, porém, que jamais engoliram a incompetência, o falseamento da verdade, a ignorância, a má-fé e  o exercício diário de crenças irrefletidas praticados por vocês, sabujos do Grupo RBS. Hoje é um dia de alma lavada. Hoje o que resta da dignidade do jornalismo está em festa, pois a face que não presta do jornalismo brasileiro começou a ser desmascarada. Hoje as pessoas que vocês enganaram por um bom tempo também sabem que vocês escrevem a soldo de gente supostamente tão desqualificada moralmente quanto o que há de mais rasteiro na política brasileira. É nessa lama que vocês, colaboradores, parecem indiretamente chafurdar diariamente, sem qualquer espécie de distinção ética, pois pelo menos parte do salário de vocês parece ser pago com o mesmo tipo de dinheiro sujo que movimentou o famoso “Mensalão” e outros tantos escândalos semelhantes. Dinheiro sonegado é dinheiro sujo, além de fazer falta para quem mais precisa do Estado.
Como será saber que seu empregador, caso as denúncias sejam verdadeiras e a culpa do Grupo RBS reste provada, é corresponsável pela pobreza, pela miséria,  pela histórica falta de Estado para os mais necessitados? Com que moral vocês irão criticar programas públicos de assistência social, uma vez que há tal assistência também porque há corruptos?
Não há nenhuma diferença moral entre a corrupção supostamente praticada pelos seus patrões e a patrocinada por “mensaleiros” e operadores do esquema da Petrobras,  o dito “petrolão”.
Aliás, como será batizada a propina supostamente paga pelos executivos do  Grupo RBS a fim de livrar a empresa de débitos tributários?
Caso vocês ainda não tenham se dado conta, estamos falando de, supostamente, 19 bilhões de reais. De advocacia administrativa, tráfico de influência, corrupção ativa  e passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. E, supostamente, nesse mesmo barco estão "queridinhos" do Grupo RBS, como o Grupo Gerdau - e não poucas vezes um conhecido
integrante do referido Grupo nos deu lições baratas sobre ética nas páginas de opinião de veículos do Grupo RBS. E tudo isso, frise-se, dito pela Receita Federal, Polícia Federal, Ministério Público Federal e a Corregedoria do Ministério da  Fazenda.

Que razões temos, portanto, para acreditar que tais denúncias são mais "fracas" do que aquelas que culminaram na condenação dos ditos “mensaleiros”?
E agora, como vocês irão dormir sabendo que todo o discurso moral - discurso assumido por cada um de vocês, diga-se de passagem - do Grupo que  vocês representam pode nunca ter valido um tostão furado?
Vocês pedirão demissão? Pedirão desculpas públicas por representarem possíveis corruptos - e venderem seus discursos - por tanto tempo? Não é essa a atitude  que vocês, colaboradores e porta-vozes da moralidade do Grupo RBS, costumam exigir de políticos?
Tenham o mínimo de dignidade. A mesma que vocês não pensam  duas vezes  em
exigir quando se trata de desqualificar a política.
(*) Marcelo da Silva Duarte é jornalista.

Sobre 15/03.

Por quase quinze dias tenho publicado, neste blogue, artigos de jornalistas de renome, historiadores, sociólogos e outros estudiosos, como também publicações de jornais dos EUA e Inglaterra, deixando que ELES, por terem mais informações e argumentos, demonstrassem friamente o que foi o movimento de 15/03.
E, lamentavelmente, ficou provado que foi puramente UMA MANIFESTAÇÃO DE ÓDIO.
O que vi e li nos post, nas redes sociais, não foi um povo cansado e revoltado com a CORRUPÇÃO, mas manifestação de uma ELITE hipócrita, mau perdedora, que acha que a corrupção nasceu ontem.
Elite esta que convive muito bem com a corrupção, vota e frequenta a casa de corruptos.
Vi empresários que em 2003 (fim do governo PSDB/FHC)  tinha uma mercearia ou estavam quase falidos, ganharem dinheiro e enriquecerem nos doze anos de governo do PT, fazendo críticas e dizendo que vivemos uma crise. Qual? de crescimento?
Querem combater a corrupção? ótimo, parabéns, sejam bem-vindo ao clube, pois, nesta cidade, tirando o Ministério Público que tem isto por função, esta é uma luta de um homem só (Celso Lima).
Querem fazer algo para melhorar o Brasil, então, manifestem-se pelo fim do financiamento privado de campanhas, pois é lá a fonte da corrupção de nossos políticos (Deputados, Senadores e Governadores).
Todos os escândalos de corrupção que envolveu o Executivo, tinham por objetivo "comprar" Parlamentares, ou seja, nosso problema é o Congresso, que faz chantagem contra o Executivo visando benefícios pessoais e politiqueiros.
Temos o Congresso mais caro do mundo, mas estamos longe de sermos o pais mais rico do mundo. Contra isto não vi nenhuma manifestação. O Congresso acabou de triplicar a "verba partidária", e nenhuma manifestação contra isto foi marcada.
Pela primeira vez na história deste pais, temos a Polícia Federal, Ministério Público e o Judiciário, atuando livremente, com apoio irrestrito da Presidência da República (coisa que não acontecia no passado), e vemos pessoas insurgirem contra Ela. Pergunto: Querem esclarecer, processar e prender os culpados? ou só querem mesmo é um Terceiro Turno?
Não vou escrever sobre o 15/03, pois, lamentavelmente, vi pessoas de minha convivência, alguns até considero amigos, exporem publicamente um sentimento condenável: O PRECONCEITO.
Quem apoia um Regime de Exceção (onde não há direitos individuais) apoia Assassinos, torturadores e Estupradores.
Tenho PENA destas pessoas.

Entendeu Agora o 15/03 ?

o Zelotes “dazelite” (Ou de como as elites roubam o povo e passam a culpa adiante)


"A gente faz com você" diz chamada da RBS. Faz o que?
"A gente faz com você" diz chamada da RBS. Faz o que?
Zelote era o partido Judeu que combatia contra  os altos tributos cobrados por Roma ao Estado de Israel. Era um partido popular. Tanto é, que os judeus, entre Jesus Cristo e Barrabás, escolheram este último para ser liberto. Lembram da história não? Mas ali falamos de um povo subjugado pelo império romano. Aqui estamos falando da elite (dazelite, pejorativamente) empresarial, banqueira e quem diria, da elite judia, ou alguém não sabe a quem pertence a RBS? A elite embusteira que financia os movimentos de rua, que pedem a volta da ditadura e que diuturnamente em seus meios de comunicação emitem ondas de desgraça fantasiadas de notícias sobre o Brasil, que correm mundo e tentam depreciar o Brasil diante da comunidade mundial, estas elites estão mais sujas que pau de galinheiro. São fraudadoras contumazes do erário público. Não pagam nem os poucos impostos que deveriam pagar. Pagam propina pra se esquivar dos impostos. A Rede Globo desviou, não pagou, pagou pra roubar processos de multas na receita. Agora esta "Operação Zelote" pega Bancos, RBS e o Bilionário Gerdau com a boca na botija. Pregam, mas praticam o contrário do pregam. Dão-lhe pau na Petrobras, desgastam-na, por que meia dúzia de corruptos levaram grana da Estatal. Mas não batem na corrupção de verdade. Batem na Petrobras. Querem desgastá-la, comprar ações baratas com o dinheiro obtido em transações espúrias contra o povo brasileiro, como estas da "Operação Zelote" e enriquecer mais um pouco. Esta é a "Zelite" brasileira. São bandidos que cometem diariamente crimes de Lesa Pátria, mas estão protegidos por uma ampla rede de servidores corruptos, como estes da Receita flagrados na corrupção. A "Zelite" tupiniquim também esta protegida pela mídia golpista que esta umbilicalmente envolvida, como podemos ver na Operação Zelotes e no mega esquema de lavagem de dinheiro do HSBC. Nas ondas das rádios e TVs, só mentiras e ataques contra os outros, tenham cometido crimes ou não. E pra não dizerem que isto é opinião de petista,  Vai matéria do Estadão sobre o tema:
Bancos, montadoras e gigante da alimentação são alvo de operação contra propina
Estadão Conteúdo Publicado no UOL
Os bancos Bradesco, Santander, Safra, Pactual e Bank Boston, as montadoras Ford  e Mitsubishi, além da gigante da alimentação BR Foods são investigados por suspeita de negociar ou pagar propina para apagar débitos com a Receita Federal no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).
"Aqui no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) só os pequenos devedores pagam. Os grandes, não", resumiu um ex-conselheiro do Carf, com cargo até 2013, numa conversa interceptada com autorização da Justiça, segundo relato  dos investigadores. Procuradas pela reportagem, a maioria das empresas informou não ter conhecimento do assunto.
A fórmula para fazer o débito desaparecer era o pagamento de suborno a integrantes do órgão, espécie de "tribunal" da Receita, para que produzissem pareceres favoráveis aos contribuintes nos julgamentos de recursos dos débitos fiscais ou  tomassem providências como pedir vistas de processos.
O grupo de comunicação RBS é suspeito de pagar R$ 15 milhões para obter redução de débito fiscal de cerca de R$ 150 milhões. No total, as investigações se concentram sobre débitos da RBS que somam R$ 672 milhões, segundo investigadores.
O grupo Gerdau também é investigado pela suposta tentativa de anular  débitos que chegam a R$ 1,2 bilhão.
O banco Safra, que tem dívidas em discussão de R$ 767 milhões, teria sido  flagrado negociando o cancelamento dos débitos.
Estão sob suspeita, ainda, processos envolvendo débitos do Bradesco e da Bradesco Seguros no valor de R$ 2,7 bilhões; do Santander (R$ 3,3 bilhões)  e do Bank Boston (R$ 106 milhões).

Assim Agem Os Tucanos: CONTRA os Pobres.

Senadores tucanos querem expulsar médicos cubanos e acabar com o Mais Médicos

 :
Ministro da Saúde classificou como "lamentável" o projeto de lei dos senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Aloysio Nunes (PSDB-SP) que tenta anular o termo firmado pelo governo brasileiro com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas),  que permitiu o ingresso de milhares de cubanos ao programa; "É lamentável. Aqueles que diziam nas eleições passadas que não acabariam com o programa agora mostram sua verdadeira face", disse Arthur Chioro

Brasil 247 - O ministro da Saúde, Arthur Chioro, voltou a criticar o projeto de lei  dos senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e Aloysio Nunes (PSDB-SP) que tenta anular o termo firmado pelo governo brasileiro com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) que permitiu o ingresso de milhares de cubanos ao programa e agora pode inviabilizar a continuidade do Mais Médicos.
"É lamentável. Aqueles que diziam nas eleições passadas que não acabariam com o programa agora mostram sua verdadeira face", disse Chioro nesta sexta-feira  (27) durante um evento no Rio de Janeiro.
Segundo o ministro, casos os médicos cubanos sejam impedidos de trabalhar, o programa federal do Mais Médicos poderá ficar comprometido, já que os profissionais de saúde brasileiros não querem atuar em diversos municípios do interior do  País.
"Romper o convênio com a Opas, que permite que mais de 11.400 médicos  cubanos atuem no programa em regiões de floresta, aldeias indígenas, quilombolas, justamente as mais críticas do país, é um atentado contra a população brasileira. Aliás, contra as próprias prefeituras do PSDB, já que 65% delas participam do Mais Médicos, inclusive com médicos cubanos", afirmou Chioro

Isto Vale Para TODOS Nós.


Eu, a televisão e minha saúde

by luizmuller
Como eu me sentia quando assistia o noticiário
Como eu me sentia quando assistia o noticiário...
Em tempos outros, ouvia  o noticiário do rádio todos os dias pela manhã, antes de ir ao trabalho. Depois o hábito foi substituído pela Televisão que enfim chegava a casa da maioria, depois de muito tempo. O hábito ficou, apesar da internet. Mas de uns anos para cá, comecei a ter problemas com a televisão. Mais recentemente, até náuseas tive, depois de ver noticiários como o Bom Dia Brasil. Só notícias negativas. Se não tem algo negativo pra mostrar nos grandes centros, vão até onde judas perdeu as botas pra mostrar alguma desgraça. E se não tem, fabricam a desgraça. O ensino melhorou no Brasil, mas lá vai a Globo e acha uma escola em péssimas condições. A escola é responsabilidade do município, que recebe recursos do Governo Federal, mas por causa daquela escola, para os âncoras do folhetim midiático, é a educação no Brasil que esta uma desgraça. O SUS, apesar de problemas que ainda há, é o maior sistema universalizado e democrático do mundo, reconhecido por países como os EUA, que vieram aqui copiá-lo e o Obama até agora esta tentando implantar algo próximo lá. Mas para os âncoras do Bom Dia, todo o dia começa mal e já acharam algum posto de saúde, nem que seja em "cacimbinhas do norte", em precárias condições. E tome pau na Saúde e no Governo Federal. Sem falar na Segurança. Um assalto em uma rua qualquer em ...Fortaleza (Por que não SP?) é logo transformado em crise na segurança pública brasileira, que é atribuição dos Estados, mas que para a Globo e o aparato midiático, é problema do...Brasil. E a corrupção ? Com os nomes já encaminhados para o Procurador Geral da República, era de se esperar que a Globo cobrasse julgamentos. Não. Requentam "delações premiadas" e repaginam as mesmas, dando a sensação de que todos são corruptos.Menos a Globo é claro. Por que o Envolvimento dos seus donos com o Mega Escândalo do HSBC e agora também suas subsidiárias flagradas na operação Zelotes, são "equívocos" da Polícia e do MP. Mas falando da minha saúde, nesta semana tomei uma medida drástica para eliminar o meu mal estar diário. Não assisto mais televisão e por conseguinte, não assisto o noticiário. O resultado foi fantástico. Passei a semana muito mais animado e disposto. E não me alieno não. Com o tempo que levava assistindo TV, leio um pouco mais de informação em Blogs e na mídia internacional. São mais verdadeiros, dificilmente mentem e nem são depressivos. Não ligarei mais a televisão. E filmes eu posso ver no cinema, no netflix ou em outros meios eletrônicos. De mim não terão mais audiência. A minha vantagem é que tive minha saúde e meu ânimo de volta.
...E como me sinto hoje, muito mais animado para o trabalho, depois de deixar de assistir a Globo e suas co irmãs de ódio e desgraças..
...E como me sinto hoje, muito mais animado para o trabalho, depois de deixar de assistir a Globo e suas co irmãs de ódio e desgraças. A mídia provoca doença mental nas pessoas com sua pregação diária de desgraças e de ódio insano.

Caindo a Máscara.

Quando a propina é de grandes sonegadores de imposto, aí não há corrupção?

Por Filipe Castilhos/Sul21
Jacques Távora Alfonsin
A maior parte das denúncias de corrupção levadas ao conhecimento do povo, nesses dias, tem sido feita por aquela parte da mídia, porta-voz tradicional das “virtudes morais e patrióticas” de  grandes grupos econômicos. Empresárias/os ricas/os, dotadas/os de um empreendedorismo típico do capital indispensável ao progresso do país, seriam vítimas inocentes de um Estado corrupto, ineficiente, perdulário, adversário disfarçado do livre mercado.
Essa campanha “civilista” ganhou um impulso extraordinário nos últimos tempos por força do  caso Petrobras. Qualquer indício de mal feito chega a sociedade como prova indiscutível de imoralidade, a merecer de todas/os as/os brasileiras/os a execração pública da/o denunciada/o e do “mar de lama” onde está se afogando o governo do país.
Esse veneno começa a ser ingerido agora por quem mais tem se dedicado a tornar manifesto  seu passado de moral ilibada, o seu zelo pelo respeito devido à ética, seja a pública, seja a privada, a pureza de suas intenções em punir as pessoas responsáveis por tais crimes.
O Correio do povo deste sábado, 18 de março, indicando como fonte o Estadão, noticia estar a Polícia Federal apurando desvios de R$ 19 bilhões na Receita de bancos e empresas:
“ Os bancos Bradesco, Santander, Safra, Pactual e Bank Boston, as montadoras Ford e Mitsubishi, além da gigante da alimentação BR Foods são investigados por suspeita de negociar ou  pagar propina para apagar débitos com a Receita Federal no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Na relação das empresas listadas na operação Zelotes também constam Petrobras, Camargo Corrêa e a Light, distribuidora de energia do Rio.”
“O grupo de comunicação RBS é suspeito de pagar R$ 15 milhões para obter redução de débito fiscal de cerca de R$ 150 milhões. No total, as investigações se concentram sobre débitos da RBS  que somam R$ 672 milhões, segundo investigadores. O grupo Gerdau também é investigado pela suposta tentativa de anular débitos que chegam a R$ 1,2 bilhão. O banco Safra, que tem dívidas em discussão de R$ 767 milhões, teria sido flagrado negociando o cancelamento dos débitos.” “Estão sob suspeita, ainda, processos envolvendo débitos do Bradesco e da Bradesco Seguros no valor de R$ 2,7 bilhões; do Santander (R$ 3,3 bilhões) e do Bank Boston (R$ 106 milhões). A Petrobras também está entre as empresas investigadas. Processos envolvendo dívidas tributárias de R$ 53 milhões são alvo do pente-fino, que envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e as corregedorias da Receita Federal e do Ministério da Fazenda.”
Na edição de março do Le Monde Diplomatique, igualmente, Silvio Caccia Bava  exibe dados relativos aos expedientes utilizados por poderosas empresas e pessoas ricas, valer-se da prática da corrupção para sonegar o pagamento de impostos. Embora sem poupar a responsabilidade do Poder Público em bem fiscalizar e impedir tais ilícitos, afirma:
“Existem também, mecanismos utilizados pelas grandes empresas multinacionais que atuam no Brasil, que se valem de expedientes de sub e sobrefaturamento para promover a evasão fiscal. Isto é, deixar de pagar impostos e transferir ilegalmente riqueza para fora do país. A Tax Jusfice Network identifica, com base em dados do Banco Mundial, que a evasão fiscal no Brasil, em 2011, foi de 13,4% do PIB, algo como US$ 280 bilhões. Os impostos mais sonegados são o INSS, o ICMS e o Imposto de Renda. Mas não para por aí. As dívidas reconhecidas pela Receita Federal de impostos das multinacionais que operam no Brasil, em 2012, somam R$680 bilhões.” (…) “Em meio ao escândalo do HSBC, o segundo maior banco do mundo, identificaram-se 8.667 brasileiros que sonegaram ou o lavaram dinheiro fora do país por meio dessa instituição. São bilhões de dólares por ano. Eles são parte da elite econômica do nosso país, acostumada a tudo poder. O que vai acontecer com eles?”
Diante de uma realidade como essa, pelo que se está apurando até agora, os valores de desvio de dinheiro da Petrobras são até significativamente inferiores, mas a conveniência de serem expostos como únicos e reprováveis se vale do exemplo de inocência do quero-quero, para até isso deturpar. Gritando estridentemente bem longe do ninho justamente para esconder o lugar onde esse se encontra, a avezinha despista agressores, defende e salva a vida dos seus filhotes. A corrupção moral desses poderosos grupos econômicos, bem ao contrário, grita para esconder seus ninhos  de reprodução, cirando injustiça social e morte, pelo volume do dinheiro público que eles roubam, dessa forma retirando do que é devido ao povo, em serviços públicos de qualidade, os recursos necessários para garantir sua dignidade, cidadania, bem-estar e bem viver.
A sonegação de imposto é crime, previsto em várias leis, uma delas ainda de 1965 (lei 4729) e pode fazer cair sobre esses grupos econômicos uma espécie de “ficha suja” suficiente para servir  de impedimento – note-se a ironia dessa palavra para quantos desses grupos, direta ou indiretamente, estão defendendo o impeachment da Presidenta Dilma – para muitos dos seus negócios.
Essa, entre muitas outras evidentemente, uma das razões de não se imitar, nem como represália, a conduta imoral de algumas dessas empresas, grupos de mídia e pessoas, antecipando  como verdadeiros os fatos ora investigados pela Polícia Federal contra elas. A existência de razões, porém, para a sua pregação moral já se encontrar sob suspeita de hipócrita e cínica, não há como negar. Se andou usando e abusando da tão proclamada liberdade de iniciativa, fazendo o que fez, e da não menos defendida liberdade de expressão, para mentir, não vai dar mais para recolher as pedras que andou lançando sobre a moral alheia e a conduta política do governo.
Se a própria moral delas estiver sem a mesma ou pior condição dos pecados por ela atribuídos às outras, com a mesma ou maior publicidade impõe-se agora ser  provada.

Caça Aos Infiéis.

Encontro do PMDB proíbe deputado Romanelli na liderança do governo Richa; assista ao vídeo


Durante encontros em Apucarana e Londrina, militantes do PMDB exibiam cartazes contra deputados do partido que aderiram ao governo Richa; reuniões deste sábado (28) aprovaram proposta de Requião que veta participação de Romanelli na liderança de Richa; agremiação também pretende cassar direito a voto de quem ocupa cargo em comissão no governo do PSDB; assista ao vídeo.
Durante encontros em Apucarana e Londrina, militantes do PMDB exibiam cartazes contra deputados do partido que aderiram ao governo Richa; reuniões deste sábado (28) aprovaram proposta  de Requião que veta participação de Romanelli na liderança de Richa; agremiação também pretende cassar direito a voto de quem ocupa cargo em comissão no governo do PSDB; assista ao vídeo.
O senador Roberto Requião recomendou neste sábado, dia 28, que o PMDB proíba na convenção os deputados do partido de exercerem cargo de representação no governo de Beto Richa (PSDB).
A indicação que exige a fidelidade partidária foi aprovada por unanimidade dos militantes da legenda. A proposta será levada ao diretório estadual e, se referendada, o deputado peemedebista  Luiz Cláudio Romanelli será obrigado a deixar a liderança do governo tucano na Assembleia Legislativa.
“Nós queremos estabelecer alguns princípios: 1- quem tiver cargo comissionado no governo  estado não pode votar e ser membro de diretório e delegado de partido porque tem a possibilidade concreta de vender o voto; 2- deputado eleito pelo PMDB não pode ser líder do governo que combatemos no processo eleitoral e que liquidou o estado”, propôs Requião.
“Vocês acham que os deputados que traem o partido todo dia, votando contra o povo, devem ficar ou sair do partido?”,  perguntou o senador ao plenário, que aprovou a proposta por aclamação.
O objetivo dessas medidas, segundo Requião, seria evitar a interferência da máquina pública  no resultado interno da agremiação.
Em seu discurso de 30 minutos, o senador do PMDB não poupou Richa chamando-o de “louco que precisa de internamento”. Segundo ele, o magistério deu um “corridão” no governador  que queria destruir o ensino público. “Com fogo no rabo até preguiça corre”, comparou.
Blog do Esmael transmitiu ao vivo, em parceria com a Tv 15, os  encontros peemedebistas de Apucarana (aqui na íntegra) e Londrina (aqui na íntegra).
Assista ao trecho com a “demissão” de Romanelli:

segunda-feira, 23 de março de 2015

Este é o Retrato de Nosso Judiciário.

Eles fazem a diferença (Moro, Youssef, Alstom, Alckmin:os premiados)

Reblogado do Do Pataxó Cartuns

por : 
Postado em 20 mar 2015
Você pode imaginar um juiz britânico – Leveson, por exemplo, o que conduziu  as discussões para a regulação da mídia no Reino Unido – numa festa de um magnata da mídia como Rupert Murdoch?
A resposta cabe em três palavras: não, não e não.
Mídia e Justiça devem fiscalizar uma à outra, numa sociedade séria e adulta. Não podem se dar tapinhas nas costas e confraternizar como velhos  camaradas.
Que a Globo ignora esse princípio vital da democracia é óbvio. Cenas constrangedoras, no calor do Mensalão, reuniram juízes do STF e jornalísticos  icônicos da Globo.
Que o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato, não sabia disso é um fato novo, ainda que  não surpreendente num país de Justiça partidária como o Brasil.
Num mundo menos imperfeito, Moro teria recusado um prêmio  da Globo. Polidamente, assim como um jornalista rejeita um presente caro.
Mas Moro não resistiu, e as imagens dele na premiação são lastimáveis. A  posteridade haverá de olhá-las como símbolo de um tempo de atraso no Brasil.
Não há almoço de graça, e nem prêmio. Uma organização como a Globo não  premia ninguém sem que haja interesses por trás.
Do ponto de vista prático, o que se deve esperar de alguma causa jurídica que  envolva a Globo e que acabe caindo nas mãos de Moro?
A aceitação da homenagem já foi um ruim. Mas as palavras de  Moro – e o olhar deslumbrado traído pelas fotos da cerimônia – tornaram as coisas ainda piores.
Moro, segundo o site do Globo, disse ter ficado “particularmente tocado” com  os protestos de domingo.
Visto que foram protestos em que Dilma foi massacrada, a declaração de Moro  não poderia ser mais reveladora.
Mais que isso, só se ele dissesse que tem andado batendo  panela.
Como Joaquim Barbosa antes, Moro já se tornou o herói não dos  brasileiros – mas da direita nacional.
Também como Joaquim Barbosa antes, a Globo já tratou de armar a gaiola para ele.
Entre sorrisos, na premiação, Moro entrou nela – para prejuízo da sociedade.